psicanalista

O que faz um psicanalista? Conheça mais sobre a profissão e a formação que ela envolve

Dentre os vários profissionais que estudam a mente humana e as condições sob as quais ela opera estão os psicanalistas. Sua profissão desperta muito interesse na medida em que busca destrinchar os segredos da mente e da construção das relações sociais.

É comum que o termo psicanálise desperte na sua mente uma imagem que envolve uma situação com um divã em que se encontra um paciente e outra pessoa, que faz anotações e comentários, em uma cadeira. Pois saiba que você está no caminho correto!

Mas você sabe exatamente o que esse tipo de profissional faz e qual a formação necessária para se tornar um? Abaixo, confira com detalhes como funciona a psicanálise e como atuam os cidadãos que trabalham na área.

psicanalista

DICA: Faça sua graduação na Estácio. Conheça agora os cursos https://matriculas.estacio.br!

Psicanalista: Afinal, o que é?

Psicólogo, psiquiatra, psicanalista… São tantos os termos que envolvem profissionais que promovem a análise psicológica humana e o estudo sobre os comportamentos que isso pode causar muita confusão.

Entretanto, cada uma dessas profissões se distingue por prestar serviços diferenciados, assim como necessitar de formações diversas.

A psicanálise envolve o campo clínico que é acompanhado pela investigação teórica sobre a psique humana. O famoso Sigmund Freud, aliás, é considerado como o pai dessa área psicológica. Ele iniciou a desenvolver esses estudos ainda no século XIX e foi motivado pelo fato de inúmeros pacientes não responderem aos métodos tradicionais de tratamento.

psicanalista

A partir de então, iniciou o estudo do inconsciente de forma profunda, o que foi levado a frente por diversos profissionais até hoje. Esses estudos são baseados em longas conversas e, também, em análises cujas sessões costumam durar horas!

Aliás, diferentemente do que muitos pensam, para exercer a psicanálise não há necessidade de formação em medicina ou psicologia! O caminho, nesse caso, é diferenciado, conforme veremos a seguir.

Primeiramente, contudo, é necessário saber o que diferencia esses profissionais dos psiquiatras e psicólogos? Desvende esse mistério a seguir e, após, confira quem pode se tornar um analista e como é o seu dia a dia de trabalho.

Psicanalista x Psicólogo x Psiquiatra: Como diferenciar?

O psicólogo é o profissional que tem como formação superior a Psicologia, curso que possui 05 anos de duração. Além disso, é indispensável que para atuar como tal ele possua registro perante o CRP, Conselho Regional de Psicologia.

Diferentemente dos psiquiatras, ele não é um médico. Dessa maneira, não pode receitar remédios. Porém, realiza sessões em que escuta e orienta o paciente. Ele também é capaz de diagnosticar o desenvolvimento de doenças psíquicas e fazer o devido encaminhamento do indivíduo para auxílio de um profissional da medicina.

O seu estudo comporta o comportamento humano que é estudado durante as sessões em que se faz possível reconhecerem a mudança das ações conforme o avanço das conversas. O tratamento que lhe cabe é de longo prazo e envolve conversas constantes em um consultório, que são realizadas de forma semanal ou quinzenal, a depender do caso concreto.

Por outro lado, o psiquiatra possui formação no curso de medicina e especialização da área psíquica. Portanto, ele é capaz de receitar medicações em tratamentos de ordem psicológica.

A formação completa, considerando-se graduação e especialização, demanda entre nove e dez anos, a depender da escola em que a especialidade é conquistada.

Por fim, o psicanalista se difere pelo fato de que não necessariamente precise ser formado em medicina ou psicologia. Contudo, sua especialização em psicanálise demanda 02 anos, ao menos.

Abaixo, conheça mais sobre essa instigante profissão!

Tarefas dos profissionais da psicanálise

Os profissionais dessa área de estudos psicológicos agem de forma a desenvolver longas conversas quanto à percepção de mundo, aos sonhos e impressões que um paciente tem. Dessa maneira, busca entender e identificar traumas, emoções e experiências diversas.

Essas investigações atuam, no geral, sobre o inconsciente, despertando percepções e conclusões que não partem apenas do profissional, mas do próprio paciente que passa a dar atenção a alguns pontos que passavam, até então, imperceptíveis.

Um dos principais métodos utilizados é o da “livre associação” que, por sua vez, consiste em deixar o paciente livre para falar o que lhe vem a mente. A partir disso, cabe ao psicanalista realizar a pesquisa e interpretação de pequenas peças de um quebra-cabeça que tendem a se encaixar, com maior ou menor freqüência, ao longo das sessões.

Pode-se concluir, portanto, que os profissionais dessa área trabalham com abordagens terapêuticas em sessões que o paciente fica a vontade não apenas para falar, mas também fisicamente. Isso, pois, a imagem que relaciona a profissão a um divã não está incorreta, mas é o que costuma contar nos escritórios e ambientes em que os atendimentos são feitos.

Assim, cabe a eles identificar origens de problemas e orientar para a solução dos mesmos.

Qual a formação de um profissional da psicanálise?

Por fim, cabe ressaltar que a profissão não é regulamentada. Esse é um dos principais motivos que há liberdade quanto à graduação, desde que o aprendiz da psicanálise realize um curso voltado para isso.

Em diversas vezes, aliás, associações independentes de psicanálise são capazes de reconhecer outro profissional como um psicanalista.

Published by